domingo, 15 de setembro de 2013

My Heart To Joy- Seasons In Verse [2009]


Uma mistura distinta e épica de post-hardcore no emo é o tema para a estreia do My Heart To Joy. Além disso, considere o fato de que é um dos álbuns favoritos de 2009 do La Dispute. Eu preciso falar mais? Bem, vou falar de qualquer jeito!

Saboreie isso. Mergulhe nisso, porque o puro frescor, como raios dourados de sol em dia de inverno rigoroso, isso é revigorante e quente! Seasons In Verse é uma mistura esplêndida- uma parte de vocais emocionais, uma parte da instrumentação post-hardcore. Soa interessante? Bem, adicione isso ao fato de que esse álbum foi um dos favoritos dos gigantes do gênero; La Dispute. Livre de hinos de longa duração e preferindo se concentrar em um projeto grandioso de nicho focado mais refinado, a estreia do My Heart To Joy foi um testamento bem sucedido e edificante para a esperançosa banda de Connecticut. E no que pode faltar de variedade e originalidade, certamente compensa com qualidades mais estéticas, como beleza e coesão.

Mais ambicioso do que o primeiro encontro com o ouvido, Seasons In Verse mostrar que uma abordagem moderada e controlada de qualidades já dominadas por outras bandas pode certamente ainda resultar em uma saída mais favorável. Irrompe em um produto que é pensativo e régio sem soar pretensioso ou demasiado habilidoso. Cada canção é como uma peça de um quebra-cabeça, e sua similaridade faz difícil analisar Seasons In Verse por canção. O som geral, por outro lado, é muito melódico e fácil de distinguir. A seção rítmica provê um pouco de contraste em uma abordagem mais poderosa e simplista. As canções são muitas vezes uma preparação para a ponte até que finalmente elas pulam, apenas para sobreviver e repetir a mesma coisa poucos momentos depois. Camadas de sons (frequentemente muito lentas) são adicionadas uma em cima das outras até que você eventualmente ouve a canção irromper com os vocais mais emocionais e frenéticos enquanto ainda assim soando perfeitamente calmo de alguma maneira. E você fica feliz por sobreviver à queda, porque cada canção mostra uma progressão refinada e calculada. A óbvia dessas facetas são os vocais gritados. As letras não são particularmente geniais, mas elas certamente correspondem à maneira épica que o My Heart to Joy tem a habilidade de construir. A sinceridade é muito presente não apenas nos vocais fortes, mas também na produção crua! Enquanto a qualidade pode vacilar aqui ou ali, é uma qualidade que certamente atinge a estética criada proeminentemente pelo My Heart To Joy. Coloque o refrão cativante e estrutura tradicional de canção e segure, porque o My Heart To Joy vai jogar isso fora pela janela. Em seu lugar é algo para combinar com o clima, muito mais orgânico, ainda assim épico ao mesmo tempo.

A falha gritante é- claro- que há uma falta marcada de variação entre as canções. Mas ao mesmo tempo, faz sentido, pois Seasons in Verse segue uma trajetória. Porque, o My Heart To Joy faz você perceber, mesmo em meio à produção crua e gritos ásperos, ou os invernais dias frios e amargos, há ainda assim espaço que repousa para a satisfação e exuberância, similar ao potencial que repousava nessa banda!

Nenhum comentário:

Postar um comentário