sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Benton Falls- Fighting Starlight [2001]

O primeiro capítulo na  carreira de uma grande banda!

Benton Falls merece cada tanto de crédito que lhes é depositado, porque é raro encontrar uma banda que assume um gênero comumente criticado, nesse caso “emo”, e transforma em algum realmente brilhante! “Emo” não merece as pedradas e flechadas às quais é normalmente sujeitado, e a simples existência do Benton Falls é prova disso. De fato, esse álbum, “Fighting Starlight”, é uma evidência dessa noção, entregado com habilidade consumada e emoção crua.

As canções podem ser sobre o relacionamento tenso, porém amoroso, entre mãe e filho. A voz de Michael Richardson é um dos fatores chaves que fazem dessa banda tão única- ao invés de ser vítima de um gemido estereotipado, seus vocais são fortes, claros como um sino, e embebidos com uma profunda melancolia que é difícil não afetar! O fato de que ele toca guitarra tão brilhantemente, enquanto canta, com o igualmente excelente Gerb apenas promovem seus talentos óbvios. Isso é mostrado quando ele guia a faixa através das mudanças de tempo e de curso, clareando todos os momentos, com guitarras distorcidas batendo com a mesma facilidade. Maravilha.

As canções tem uma dualidade soberba; a paleta sonora vai do rock chill-out para um emo áspero em um piscar de olhos, com partes mais frias deixando a canção única. As partes pesadas são mais fortes do que se imagina, mas o fato de que o Benton Falls nunca abandona toda a melodia e evitar terminar com um rock dilacerante é tão refrescante- ao invés disso, eles retornam para uma vibração calma e meditativa, e terminam suavemente, deixando a certeza de que algo incrível esta por vir a caminho.

E você está certo em pensar nisso! O grito de Richardson é excelente- cru e nu (sem produção fresca para fazer os gritos ficarem bonitinhos), pairando sobre a música, não caindo nas armadilhas simplificadoras do screamo.

As letras comoventes são apoiadas pela instrumentação soberba. As guitarras são temíveis, com riffs mordazes e preenchidos, dominando e combinando perfeitamente com os vocais irritados ainda vulneráveis de Richardson.

Os vocais de Richardson são realmente difíceis de culpar. E aqui eu gostaria de creditar a bateria de Eli Deering e o baixo de Vance Gore. Os dois homens têm uma sessão rítmica impecável, segurando as ranhuras tristes com facilidade e adicionando uma tensão que é bastante notável. Eles são fortes através de todo o álbum!

A guitarra ascende acordes melódicos numa espiral de harmonia, com grandes letras conceituando o pacote. Isso continua até o fim, quando o riff bate com tal ferocidade que vai  explodir seu cérebro!

As linhas de guitarras suaves entrelaçadas de Michael Richardson e Gerb, Vance Gore gentilmente pulsando o baixo, e a bateria decisiva de Eli Deering ressaltam todo o ambiente sofisticado/triste estilístico do álbum. Uma grande peça de música em seus próprios termos!

'Fighting Starlight' vale cada centavo, simples assim! A musicalidade brilhante, letras sinceras, guitarras soberbamente ritmadas, o baixo pulsante e a bateria nítida adicionados na mistura e se você ouvir esse álbum, invariavelmente vai escutá-lo de tempos em tempos. Simplificando- ouça isso, e não vai mais olhar pra o midwest emo do mesmo jeito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário