sábado, 25 de janeiro de 2014

Melhores Álbuns de 2013

Nós não fugimos da hipsteragem e mesmo atrasados- mas o que vale é a intenção, não é mesmo?- fazemos nossa lista de melhores álbuns de 2013. Não há critério necessariamente técnico, foram os discos que ouvi e mais gostei. Simples assim.

-

33. Nadja- Flipper

Dos últimos lançamentos da banda, foi o que mais gostei. Aquele clima de cemitério, observando as ondas delicadas na costa.









 32. Football, etc.- Audible

Aquele pop cristalino no som, e melancólico nas temáticas. O melhor álbum emo de 2013








31. Thy Light- No Morrow Shall Dawn

Banda de um homem só. Brasileira. Belo metal extremo







30. Bardo Pond- Peace on Venus
 Barulho bem cadenciado.








29. Deafheaven- Sunbather

Enquanto os publicitários adoraram a capa, nós adoramos o conteúdo. Black metal, post-rock, shoegaze, letras introspectivas, coisa bonita, viu.





28. Alameda 3- Późne królestwo

Um disco cheio de saídas imprevisíveis, com muitas ideias. Do começo ao fim surpreende.



27. My Bloody Valentine- m b v

Acho que tamparam todas as entradas e saídas do estúdio durante as gravações. É denso. Muito denso.







26. Vàli- Skogslandskap

Não há humanidade aqui. Vàli captura, ou tenta reproduzir, os sons de uma natureza supostamente mística. Se conseguiu não sei, mas ficou excelente.






25. Cult of Luna- Vertikal

Um álbum com dois épicos, com clima de desespero profundo e depressão. Não precisa mais nada.







24. Death Angel- The Dream Calls for Blood

Há muito tempo eles precisavam lançar um álbum desse nível, e os fãs há muito tempo esperavam ouvir algo assim. Thrash metal. Simples assim.







23. Windhand- Soma

Atmosfera obscura, tempo lento, melancolia.







22. The Aristocrats- Culture Clash
Uma grande álbum de rock instrumental. Aceitando diversos elementos, principalmente os jazzistas.

 21. The Ex & Brass Unbound- Enormous Door


Post-punk experimental com influências jazzistas. Não tem como dar errado.

20 .Oathbreaker- Eros|Anteros


Sludge metal com inclinações claras para o crust/hardcore, com ótimas climatizações parecidas com black metal atmosférico.

19. Matana Roberts- Coin Coin Chapter Two: Mississippi Moonchile


Segundo capítulo da obra monumental que Matana está construindo. Destaque para a redução da banda, os ritmos mais melódicos e o cantor de ópera.

18. Subrosa- More Constant Than the Gods

Doom metal com algumas variações. Com aquela atmosfera obscura, mas com momentos de beleza também.

17. Julia Holter- Loud City Song 


Afirmação de Julia Holter com artista que esperávamos desde sua estreia.

16.Ataraxie- L'être et la nausée


Produção excelente para uma das melhores bandas de metal extremo fúnebre que existe por aí.

15. Gris- À l'âme enflammée, l'âme constellée...


Um atmosfera sufocante, com todos os elementos possíveis dentro da música extrema.

14. Ulver- Messe I.X–VI.X

Uma exuberante peça obscura.

13. Wisdom of Crowds- Wisdom of Crowds

Ouvi poucos álbuns de música eletrônica tão bem produzidos.

12. Jon Hopkins- Immunity

Daqui pra baixo; só coisa fina. Depois que ouvi esse álbum fiquei uma hora pensando: "Jon Hopkins é gênio, Jon Hopkins é gênio, Jon Hopkins é gênio ..."

11. Nick Cave and The Bad Seeds- Push the Sky Away
.

O tratamento da repetição como uma neurose, obsessão. Arte pura.

10. Inquisition- Obscure Verses for the Multiverse

AHEPRUIA-P9OYYY............... E Riffs galera. Riffs para desmoronar preconceitos históricos supersticiosos.

9. Àrsaidh- Roots
Um álbum grandioso que eu amei. Simples.

8. Earthless- From the Ages

Uma viagem psicodélica praticamente perfeita. Se você não usa ácido e quer saber mais ou menos como é, dizem que é bom ouvir esse disco.

7. Sigur Rós- Kveikur

Ahhhhhhhhhhhhhhh. Cacete Sigur Ros, de novo? Que bagulho tenso, obscuro, bonito, melancólico. Como conseguem?

6. Celeste- Animale(s)

O fim. A destruição completa.

5.  Avatarium- Avatarium

Um álbum de metal fúnebre que faz bem ao cérebro. Não faz sentido? Tenta ouvir.

4. A Wilhelm Scream- Partycrasher

A banda mais legal de hardcore. Técnica, letras irônicas, vocal melódico/gritado. Esqueçam daquelas bandas chatas de cabelo descolorido, o negócio é AWS.

3. Boards of Canada- Tomorrow's Harvest

Esses irmãos criam sons que criam imagens na minha cabeça. Imagens fluídas, vivas. Nesse álbum eles tiraram todo o abafamento humano, só a pequenas intervenções quase sufocadas pelo som ambiente.

2. Tim Hecker- Virgins

Hecker é um dos meus "heróis musicais". E lançou o melhor disco da sua carreira. Não há mais nada pra falar.

1. Dennis Johnson- November (R. Andrew Lee)

Saídas tortas, impensáveis e minimalistas para a prisão do silêncio. Cada nota é improvisada. E não é. A tentativa frustrada de um lindo grito de socorro em um mundo sucumbido em desespero.

Nenhum comentário:

Postar um comentário