quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Mountains for Clouds – Maybe It’s Already Everywhere [2013]




Não pergunta, é-nos vedado sabe o que o destino reserva a mim, ou a ti...” Alice Munro.

Um álbum para ouvir na nostalgia de verão. Maybe It’s Already Everywhere não é aquele pop cativante para ir à praia e jogar vôlei  e depois dar um maravilhoso mergulho no mar, é para aqueles momentos em que lembranças do passado e questionamentos do futuro se tornam o mesmo fluxo de pensamento. Para ouvir enquanto se faz fogueira, com amigos íntimos, todos indecisos sobre a vida, mas com a certeza do presente.

Mas toda essa calmaria que a banda é capaz de adotar, não compromete as partes mais barulhentas. Isso dito, o que realmente encanta no conjunto é a capacidade nos momentos mais suaves. A prova maior disso é Jamage Control, em que a letra fica em segundo plano no desdobramento onde a harmonia eleva as dedilhadas misturadas com elementos bem frágeis. Os pratos soam como o Moving Mountains e as guitarras tem o mesmo acolhimento do This Will Destroy You. A ambientação é perfeita para uma contemplativa caminhada, quando as nuvens fecham o céu e não faz nem muito calor e frio. A estrutura das notas e formação das letras são relativamente parecidas com o The Gloria Record. O interessante é o quão bem as mudanças nas formas de vocais se encaixam com a música e também com as letras, como se invocasse um certo tipo de humor relativo a cada canção específica.

Não podemos esquecer também de citar a aptidão de “math rock” na banda, com acordes alegres e angulares. As progressões na guitarra chegam a realmente a ficar árduas algumas vezes, em andamento predecessor que não era esperado esse tipo de ‘transformação’. Talvez o que mais ‘custe’ no álbum, ou seja, o que talvez venha plenamente ao reino subjetivista é o vocalista. Quero dizer, tem um aspecto muito mais pessoal do que tendências superpotentes. Emotivo, desafinado – como se discordasse do que o tema instrumental propõe, ou agisse por conta própria- lembrando muito a tendência CYLS, de bandas como o Dowsing. Mas são certos ‘vícios’ no gênero que me dão a impressão de estar em casa, lembrando muito as bandas dos anos 90 que eu amava e continuo amando (aka: Mineral).

Um clima de garoa, tranquilidade. Esse álbum nos coloca em um estado contemplativo, sorrisos, enquanto as lindas frases de guitarra pincelam nossas lembranças. Maybe It’s Already Everywhere é para quando você voltar da estação a pé para casa, em harmonia com a velocidade desconexa das grandes cidades. Para quem não sabe ainda o que quer da vida, não tem planos, e está tentando encontrar seu próprio lugar nesse vasto mundo. Ou seja, para mim, todo instante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário