segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

uma visitação do naufrágio ; Cyclobe - The Visitors



Eu não sei; é como se o resgate do naufrágio fosse uma punição demente das horas em que eu não suportei estar preso neste corpo. Foram dias encarando pontos fixos no quarto como se observá-los intensamente fosse dar o aspecto do significado deles à mim (e quem sabe ai eu não seria um ponto indiferente aos desastres existenciais?). Eu derrapei em algum caminho e embora meu corpo continuou o percurso sem maiores desastres por muito tempo é como se minha própria origem além de esquecida flagrasse o espantamento de se perceber fora do corpo. Eu não sei quando as coisas deixaram de ser palpáveis e quando todo contentamento foi uma supressão de todas as outras vontades. Eu não existo mais em plano algum e todos aparatos metafísicos se dissolveram antes mesmo de eu chegar a ser alguma coisa (ou qualquer outra coisa que não essa dissimulação inventada de fragmentos inexistentes e forjados)

Nenhum comentário:

Postar um comentário