terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Os 20 melhores lançamentos do Bandcamp de 2016

Inspirado na lista da Fact. Não sei qual necessariamente o termo deles, mas eu usei todos os álbuns disponíveis inteiramente no bandcamp. Meu site de música favorito.

20Stage Four

Touché Amoré

Stage Four


"Stage Four" é um disco essencialmente sobre a morte de alguém próximo, no caso a mãe do vocalista. A melodia que envolve o disco abandona qualquer senso de orgulho e expõe completamente o eu-lírico. Percebe-se a melancolia do vocalista em cada passagem e um estado perpétuo de doença que parece que o tempo não cicatriza. Há tanta paixão neste álbum que é impossível não ter uma reação frente a ele. A tristeza da presença da morte, lembrar das conversas possíveis desperdiçadas- o contexto engole o sujeito e o abandona ruminando o passado. Dito isso;há muita energia instrumental, apesar da uma perda inexpressável ser o principal eixo do disco. 


https://toucheamore.bandcamp.com/album/stage-four

19The Impossible Kid

Aesop Rock

The Impossible Kid 

Quatro anos depois de seu último lançamento, "Aesop Rock" volta com batidas "ocultas". As habilidades que o alçaram a certa notoriedade no "hip hop" independente estão ainda mais complexas. A consciência de "Aesop" está ainda mais internalizada e desenvolve assuntos íntimos como relações familiares e depressão. Há um elemento nitidamente poético na forma de "Aesop" abordar estes assuntos tão árduos e, ainda assim, tirar sutilezas que tornam o "The Impossible Kid" em também um trabalho com um lado muito bonito. A introspeção e a reclusão certamente fizeram bem para seu lado musical. 


https://aesoprock.bandcamp.com/album/the-impossible-kid

18A Pot of Powdered Nettles

Laniakea

A Pot of Powdered Nettles

O conceito da atmosfera de "A Pot of Powdered Nettles" é bem ambicioso e felizmente faz jus à esta ambição. Como se todos os sons tivessem o mesmo fim que não é um fim propriamente dito; é um por vir eterno, uma preambulação fantasmagórica. Um recanto meditativo que insere uma outra possibilidade para a temporalidade das coisas. 


https://laniakea.bandcamp.com/album/a-pot-of-powdered-nettles-2

17Svelte Gulf

Rhetoric of a Shotgun

Svelte Gulf (2016)

"Rhetoric of a Shotgun" me causa espanto e uma sensação de distância do mundo dado. Este impulso isolador dá ao ouvinte a capacidade de criar simulacros. Parte-se e retorna-se ao zero, à uma zona em que a inscrição coincide com a sensação. Ao mesmo tempo que tudo parece derivado, há um início radical que absolutiza todas estas sensações. Se a música é um objeto, ele é refém do criador; mas se o objeto é passível de significado, há uma reinvenção constante de suas interpretações sonoras ainda que elas repitam a mesma coisa. Separa-se da origem para radicalizar outra inseminação, uma derivação criadora. 


https://rhetoricofashotgun.bandcamp.com/releases

16Luminiferous Aether

Mare Cognitum

Luminiferous Aether 
Além dos "riffs atmosféricos" (que são talvez a coisa mais evidente em "Luminiferous Aether"), o "Mare Cognitum" tem muito mais a oferecer. As melodias se condensam espacialmente, prolongando o efeito de imersão causado pelo eco instrumental. Oscilações que transformam o disco num verdadeiro épico. Uma visão densa da indiferença cósmica quanto às nossas meras vidas 

https://marecognitum.bandcamp.com/

15L'autre côté du vent

Otacílio Melgaço

L'autre côté du vent 

Esse álbum de Melgaço oferece uma resistência inicial e aos poucos, por trás dessa densa camada sonora, vamos descobrindo um quarteto que impõe diversas texturas e encontros possíveis resididos nelas. O próprio título (algo como “do lado do vento”) representa uma sonoridade guardada por rumores que de maneira fragmentada se revelam, ascendem e depois retornam à obscuridade inicial. É como se houvesse um núcleo gravitacional que esses elementos rondam, penetram, dissolvem-se. Analisar possíveis coincidências talvez restrinja a abordagem poética que é imanada em todos os movimentos de L'autre côté du vent, poesia que trabalha com reconhecimento e desconhecido de forma paralela. É uma reação que desenha no espaço vazio (o silêncio) impressões de um observador (o compositor) fascinado com essa oportunidade de preencher o espaço, preencher o que não emite barulho. 
https://melgacootacilio.ba...-duration-51-42

14Zanshin

Lena Circus & Itaru Oki

Zanshin 

A peculiaridade é de criar tensões mesmo dos instantes em que tudo parece estar tranquilizado. Há uma espécie de embate entre representar historicamente a evolução do jazz elétrico e não se repetir ao cair em estratagemas datados. Em parte, é um devaneio entre um suposto débito histórico formativo e liberar, também, a intuição em cortes sonoros. De um modo ou de outro, é um precioso mergulho entre desenvolvimento/intuição. 

https://lenacircus.bandcam...gs-records-2016

13On Strange Loops

Mithras

On Strange Loops

Mais espacial do que nunca (e com a técnica de sempre), o "Mithras" sai de um hiato produtivo de nove anos para não decepcionar. A agressividade do "death metal" é elevada às fronteiras mais extremas e técnicas do gênero. Apesar de tantas abstrações, a fusão entre "besta-beats", "riffs" e explosões vocálicas estabelecem um movimento de contínuo transe. A temática existencial se aprofunda enquanto a banda reverbera alto, bem alto. 


https://willowtip.bandcamp.com/album/on-strange-loops

12Alien Flower Sutra

Rob Mazurek & Emmett Kelly

Alien Flower Sutra 

Ao invés de uma dicotomia entre humanidade e cybercriação, como o próprio Kelly canta (“We Are One”), é necessária uma tentativa de unidade; algo ainda impensado, que personifique uma nova compreensão sobre o que o progresso pode passar a ser. É uma entrega ao indeterminado. 

https://intlanthem.bandcamp.com/album/alien-flower-sutra

11Shrines of Paralysis

Ulcerate

Shrines of Paralysis 

A atmosfera "filosófica" do "Ulcerate" retorna da mesma maneira progressista em "Shrines of Paralysis". Múltiplas mecânicas fundem-sem em um complexo plano sonoro. A densidade acumula uma gama de referências- mais explicitamente: "death" metal, black metal e "doom" metal. A impecável técnica e o estilo narrativo de decomposição apontam direções que ultrapassam a nomeação, apenas, de música extrema. O caos é representado multifilamentosamente e nos cruzamentos possíveis entre as nuances de luz num vasto terreno obscuro. É como se o peso inerente ao som caísse em certo padrão e como se a própria maneira de pensar dos integrantes atravessassem a instituição por eles mesmo causada. 


https://ulcerate.bandcamp.com/

10Twisted Strangers

Curse ov Dialect

Twisted Strangers 

Os tipos de "beats" misturados em "Twisted Strangers" nos faz lembrar de como certa dose revisionista pode revigorar um modelo contemporâneo de se fazer música. Elementos que, à priori, tem certo distanciamento uns dos outros fundem-se no "hip-hop" do grupo para se fazer uns dos álbuns mais inovativos do gênero no ano. 


https://consumevalve.bandc...isted-strangers

9Risc

Full Blast

Risc 

É muito difícil precisar necessariamente o que faz um som ser subversivo mas a bem da verdade é inevitável classificar assim, ainda que superficialmente, toda a obra do incansável "Brötzmann". A catarse sempre como elemento de anti-clímax interage com a imaginação do ouvinte materializando sonoramente, mais ou menos, a fantasia do contato músico-instrumento-som-ouvinte. Porque esta interação traz consigo um elemento mitológico, histórico e subjetivo. A subversividade aponta uma quebra do paradigma deste triangulo. A absorção nasce da desarticulação de elementos estáticos e tradicionais. Sons desaparecem, melodias são retomadas- enquanto na movimentação subversiva "Brötzmann" lidera o ouvinte a um terreno em que só a destituição é possível.   

https://trostrecords.bandcamp.com/album/risc

8Rheia

Oathbreaker

Rheia 

Os vocais mansos e melódicos do início do disco transformam-se no prelúdio na "queda-em-si" que é "Rheia". A paixão fica evidente a cada segundo do álbum. A música pesada que envolve em sua superfície melódica uma quantidade densa de fúria e introspecção. Os "blast-beats" aceleram o processo de obscurecimento. As mudanças de tempo interagem com o ouvinte, criando uma linha muito tênue entre impressão e o que efetivamente se ouve. Toda essa atmosfera paralela de dissolvimento/claustrofobia-interna é explorada das formas mais radicais. O caos sombrio de "Rheia" deixa o ouvinte completamente absorto na uma hora de duração do álbum. Mesmo as passagens acústicas e as totalmente bonitas e melódicas trilham esta espécie de apocalipse, em que é somada agressividade e evidenciação da vulnerabilidade do eu-lírico. "Rheia" se levanta de forma pesada para explorar os pontos mais extremos do ouvinte. Não se trata propriamente de um desafio- mas das mais diversas formas de abordar o que se convencionou chamar de "melancolia". 

https://oathbreakerband.bandcamp.com/album/rheia

71

Tekti Kevlar

1 

Dos tantos trabalhos lançados pelo "Tekti Kevlar", esta "compilação de trabalhos aleatórios" é o meu favorito. As  três peças são flagras de três momentos diferentes de composição e há uma estranha incomunicabilidade entre elas. Incomunicação talvez porque "Tekti Kevlar" é um projeto que cristaliza dissonâncias com texturas explicitamente diferentes (até em sentido estético). O trabalho de "Tekti Kevlar" aposta nestas diferentes evocações para se dar conta de algo inalienável. 

https://tektikevlar.bandcamp.com/album/1

6Signals

LOK 03+1

Signals 

As estrelas da capa sugerem algo baseado na ficção científica e realmente o disco se trata da relação sonora do espaço.A narrativa caótica se trata de instrumentos (percussão, etc) que desestabilizam o próprio fluxo para recondicionar o ritmo. As texturas se repetem,se encontram, se desestruturam em seções de livre-improviso. 71 minutos que não são propriamente desafiadores para o ouvinte porque do próprio desafio-interativo entre os músicos tem-se uma bela sessão combinando composição e intuição. 


https://trostrecords.bandcamp.com/album/signals

5Terminal Redux

Vektor

Terminal Redux

O "Vektor" sempre esboçava fazer algo inteiramente conceitual com base na ficção científica e é lógico que "Terminal Redux" foi o a conclusão óbvia disso. Muito influenciado pela onda técnica do metal nos anos 80, o maior mérito do disco é, em sua vasta duração, não soar repetitivo e sempre surpreender o ouvinte. Ainda mais complexo que seus antecessores, "Terminal Redux" é um passo a frente em um gênero que surpreendentemente não tem se estagnado. . No entanto não é apenas uma narração bobinha ou simplista, ela é surpreendente e torna necessária a consulta às letras várias vezes. O álbum conceitual liberta o Vektor das expressões derivativas (embora raras) que se podia encontrar nos trabalhos anteriores. As ideias densas e desenvolvidas sem pressão solidificam esta impressão. Um épico criativo. Sem perder o peso.

https://vektor.bandcamp.com/album/terminal-redux

4Melt

Chippendale - Gustafsson - Pupillo

Melt 

A fúria caótica que a primeira peça imputa aos 7:00 minutos é uma pequena demonstração da agressividade que nasce na interação entre os três músicos. A energia que os vocais de Chippendale traz é como um autenticação menos agressiva (embora ainda assim ensandecida) da enunciação potente do trio. Gustafsson, como sempre, surge com o peso do sopro em seu saxofone oferecendo outra rota deslumbrante num caminho já rico em alternativas. É uma engrenagem de ruído que não cessa de surpreender. 


https://trostrecords.bandcamp.com/album/melt

3Rimming Compilation: Liquid Sky

Cadu Tenório

Rimming Compilation: Liquid Sky

Quando ao final destes dois álbuns estamos novamente em um ambiente mais calmo, percebe-se o tanto de paradoxos que Cadu Tenório estabeleceu em todo o trabalho. Estamos, no fim das contas, em um espaço confinado. Tenório sabe dos limites artísticos. O que não invalida absolutamente nenhuma experiência nesses discos – é um dos atravessamentos mais poderosos erigidos na música contemporânea. 
https://cadutenorio.bandcamp.com/


2

Lost Salt Blood Purges

Only the Youngest Grave

Mais de cem minutos em um ambiente sombrio, nebuloso. A prolongação do tempo e a ambientação desolada evoca nostalgia e solidão. Como se as impressões de sonho se confundissem com a visão de realidade e nesta junção resultasse em uma longa caminhada em uma cidade esquecida. Os cânticos nativos, a profusão de ruídos - os elementos de "Only the Youngest Grave" perpetuam uma estação híbrida e a-dimensionável. Como a abominável capa, o ente se encontra numa caminhada rumo ao oculto, ao inexplicável. 


https://lostsaltbloodpurge...-youngest-grave

1Gensho

Boris With Merzbow

Gensho
"Gensho" ser um dos trabalhos mais pesados tanto do "Boris" quanto do "Merzbow" já diz MUITA coisa. É como se o próprio peso aderisse uma carga "atmosférica" e sua continuidade cada vez mais tenebrosa destituísse tudo o que é humano. Não é como se a obscuridade do disco fosse essencialmente densa, mas como se o próprio "ente obscuro" se deformasse ainda mais frente ao ouvinte.Trata-se de viver a música enquanto fenômeno. A repetição e a distorção da repetição da repetição alçam o ouvinte à uma experiência incomum. Experimenta-se a maldade enquanto elemento fundador do fenômeno. 

https://borismerzbow.bandcamp.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário