quarta-feira, 2 de março de 2016

The Ed Palermo Big Band- One Child Left Behind

Para quem conhece os lançamentos do Ed Palermo e sua banda de apoio, não é novidade que desde sempre temos ouvido lançamentos que musica de maneira jazzista a obra de Frank Zappa. Qualquer que seja a intenção do compositor em fazer tantos covers (há poucas musicais originais aqui)- volta-se a atenção para a banda de dezessete integrantes.

As interpretações diferentes são todas arquitetadas por Palermo enquanto os outros vários instrumentos destacam musicas (novamente, a maioria de Zappa) com a sonoridade característica das big bands. É fácil, com o talento óbvio que os músicos exibem, sentir em One Child Left Behind vontade de dançar, já que tudo é realizado numa positividade reinante, o que tira um pouco o ar “esquisito” como as canções ficaram originalmente conhecidas. Eu não conheço muito a obra do Zappa e gosto muito das tradicionais big bands dos anos 50 e 60 e o conjunto de Palermo não deturpa nem a memória do Frank nem essa celebração de certa época. Comandados por Ed, a banda altera as percepções e curiosamente deixam as canções mais acessíveis- especialmente para quem é introduzido no jazz. De qualquer forma, as releituras da obra de Frank e as outras canções mantém certo swing e alçam ao máximo os encontros entre instrumentos e o que poder ser realizado a partir desses andamentos. Há muitos que talvez façam a pergunta de qual a relevância disso e ela pode ser respondida citando o corpo sonoro que Palermo vem solidificando e como a visitação de uma determinada época opera como instrumento de memória.


Finalmente, toda a obra de Palermo tem atravessado gerações e acolhendo resíduos tradicionalíssimos para musicar as homenagens que Ed tanto deseja. Vai além de usurpar a memória do jazz e do Zappa para comercializar arte- é a manutenção de um espírito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário